Como administrar seu dinheiro na França

Outra dúvida sobre um dos primeiros procedimentos a ser feito quando se chega a França é sobre a conta bancária. Uma boa opção é abrir uma conta corrente em um banco europeu. Para abrir uma conta, em geral exige-se apenas a apresentação de um documento de identidade, um atestado de residência e um documento que comprove renda em euros, ou seja, apenas comprovando a legitimidade da estadia (comprovando que é estudante intercambista). Em alguns casos, pode-se exigir também um depósito inicial. A partir daí, pode-se obter talões de cheques e o cartão do banco (conhecido como carte bleu), nacional ou internacional, para fazer compras e saques em caixas automáticos.

Fique atento ao uso da conta!

Geralmente o limite negativo corresponde à metade da renda declarada. Um cheque devolvido por falta de fundos faz com que o correntista perca imediatamente o direito de emitir outros cheques e de usar o cartão de crédito. Se esse problema não for resolvido em até um mês, será aberto um processo onde o correntista fica impedido de possuir uma conta bancária durante alguns anos.

Na França, não existe uma política de parcelamento de compras, os pagamentos, mesmo nos cartões de crédito, são sempre à vista. O cartão do banco pode ser de débito ou crédito, neste último você escolherá o dia em que suas compras serão debitadas de sua conta.

Outra opção é verificar se o seu banco aqui no Brasil tem parceria com bancos internacionais  e se é possível utilizar sua conta na França (confirme se as taxas para pessoa física não são muito altas para essa utilização).

Outra forma de gerir seu dinheiro é fazer um cartão especial internacional (aqueles que são feitos para viagens) no qual depósitos podem ser realizados do Brasil para o exterior. Com esse cartão, é possível realizar saques e compras, porém algumas taxas são cobradas. Na França, estes cartões de bandeira Visa e Mastercard são aceitos na maioria dos estabelecimentos.