Estude arquitetura na França

A França sempre teve um papel especial na arquitetura: Le Corbusier, Paul Andreu, Jean-Marie Charpentier, Françoise-Hélène Jourda, Christian de Porzamparc, Jean Nouvel, Dominique Perrault e Manuelle Gautrand são alguns dos nomes franceses reconhecidos mundialmente nessa área. Além disso, a contribuição de grandes arquitetos estrangeiros também está presente no país, como Oscar Niemeyer, Ieoh Ming Pei, Renzo Piano, Ricardo Bofill e Rem Koolhaas.

Dos 19 mil estudantes de arquitetura espalhados pelas 20 Écoles Nationales Supérieures d'Architecture (ENSA) francesas, 12% são estrangeiros. Há muitas redes internacionais e acordos de cooperação para o ensino em arquitetura, a mobilidade acadêmica e a profissão de arquiteto. Programas e convênios especiais permitem que o estudante entre em contato com novas culturas, problemáticas e abordagens metodológicas. Aproximadamente 85% dos formados conseguem se inserir no mercado de trabalho francês, que hoje conta com 30 mil arquitetos.

Image
La Cité des Affaires, edifício projetado por Manuelle Gautrand em Saint Étienne
La Cité des Affaires, edifício projetado por Manuelle Gautrand em Saint Étienne

Tornando-se um arquiteto

Na França, o título de arquiteto é obtido após no mínimo seis anos de estudos superiores, período que pode se estender para aqueles que desejam realizar cursos de especialização. A formação apresenta uma grande variedade de diplomas que contemplam as diversas disciplinas necessárias para a elaboração de projetos em arquitetura, urbanismo ou paisagismo.

A formação francesa de arquitetura é organizada em três ciclos:

  • 1º ciclo: com duração de 6 semestres, incluindo um estágio de 4 a 6 semanas, conduz ao Diplôme d’études en architecture e confere o grau de Licence (DEEA). Esta primeira etapa é destinada à aquisição de conhecimentos de base, processos de concepção, compreensão e prática de projetos;
  • 2º ciclo: com duração de 4 semestres, conduz ao Diplôme d’état d’architecte e confere o grau de master (DEA). Nesta segunda etapa, que compreende a realização de um estágio de 2 a 4 meses, o estudante deverá ter adquirido domínio de questões próprias à arquitetura e ter decidido sua opção de inserção profissional;
  • 3º ciclo: após os dois primeiros ciclos, o estudante poderá optar pela via acadêmica de pesquisa, que o conduzirá, ao término de mais 6 semestres de estudos, ao Doctorat en architecture. Ele poderá também se preparar para diplomas específicos, como os Diplômes propres aux Ecoles d’architecture (DPEA), ou para formações de especialização, os Diplômes de spécialisation et d’approfondissement (DSA), ou ainda mestrados especializados, Masters spécialisés. De maneira geral, estes diplomas são preparados em co-habilitação com universidades, outras escolas de arquitetura ou mesmo de engenharia.

Para se tornar um arquiteto na França, o estudante deverá, após a obtenção do Diplôme d’État d'Architecte (grade de master), realizar a formação suplementar Habilitation à la maîtrise d’oeuvre en nom propre (HMNOP), que corresponderia ao sexto ano de estudo superior. Oferecida pelas Écoles d’Architecture, a HMNOP tem duração de um ano e é o único título que autoriza o arquiteto a solicitar uma permissão de construção (permis de construire) e a se inscrever na Ordre des architectes, responsável pela atribuição do título da profissão. 

Faça uma busca por palavra-chave, campo de estudo ou região nos catálogos de Licence ou Master. ​​​

Image
Notre Dame du Haut, obra de Le Corbusier em Ronchamp
Notre Dame du Haut, obra de Le Corbusier em Ronchamp

Candidatura DAP Jaune – Demande d’admission préalable 

Para se candidatar a uma escola de arquitetura francesa nos níveis grade de licence (1º ciclo), grade de master (2º ciclo) e em HMNOP (apenas para quem já é titular do Diplôme d’état d’architecte), o estudante estrangeiro deve passar pelo processo seletivo DAP Jaune

No Brasil, a DAP Jaune é realizada pelo Campus France Brasil. O estudante pode se candidatar, por ordem de preferência, a duas escolas francesas de arquitetura, em qualquer ano de formação (1º, 2º ou 3º ano do 1º ciclo, para os estudantes que ainda não terminaram os estudos de arquitetura no Brasil; e 1º ou 2º ano do 2º ciclo, para aqueles que já têm o diploma brasileiro de arquiteto).

A DAP Jaune é conhecida por ser um processo bastante exigente. As ENSA francesas avaliam o dossiê de candidatura globalmente, o que inclui o percurso e a excelência acadêmica do estudante, seu nível de francês, suas motivações e seus projetos acadêmicos e profissionais. Leia aqui mais detalhes sobre a DAP Jaune.

Se você tem interesse em participar da campanha DAP Jaune, fique atento ao calendário de exames de proficiência. O bom nível de francês dos candidatos é obrigatório e deve ser comprovado pelo TCF-DAP, teste oficial aplicado no Brasil pela Aliança Francesa apenas uma vez ao ano, normalmente em janeiro/fevereiro. As escolas francesas de arquitetura exigem que a nota global no exame seja, no mínimo, 350 (de um total de 699) e 10/20 na prova de expressão escrita.

Quem possui o DALF (C2 ou C1), o DELF (B2) ou o TEF B2 (mínimo 14/20) está dispensado de realizar o TCF-DAP.

Dúvidas costumam surgir com relação à nacionalidade do candidato. Teoricamente, a DAP é voltada apenas a estudantes estrangeiros que não possuem nacionalidade francesa ou europeia. Caso o estudante tenha dupla nacionalidade, mas tenha realizado todos seus estudos no Brasil, poderá solicitar às écoles de seu interesse que recebam seu dossiê de candidatura enviado diretamente, sem passar pelo Campus France Brasil. No entanto, diversas escolas francesas costumam exigir que, mesmo nesse caso, o estudante se candidate pela DAP Jaune devido ao percurso de estudos realizado fora da Europa.

Links úteis

Publié le : 30/10/2018 à 21:46
Mis à jour le : 09/11/2018 à 16:48